BPM é ou não Engenharia de Software?

Tive a oportunidade de ler um artigo de Keith Swenson, Vice Presidente de Pesquisa e Desenvolvimento da Fujitsu Computer Systems Corporation explicando porque “Business Process Management” não é Engenharia de Software.

 

Segundo ele, tanto Engenharia de Software quanto BPM possuem processos semelhantes. Iniciam com levantamento de requisitos, determinam informações que serão armazenadas e retornadas, fazem um desenho dos relacionamentos e no final instalam alguma coisa que pode ser executada em algum computador.

 

Além disso, engenheiros de software podem traduzir funções de alto nível em seqüência de funções de baixo nível, com controle de fluxo, etc, em alguma coisa que pode ser transformada em linguagem de máquina pronta para ser executada. Por isso pode ser normal pessoas acharem que BMP nada mais é que um grande marketing em cima de uma rotina simples no mundo da Engenharia de Software.

 

A grande diferença é que, como o próprio nome diz, BMP serve para gerenciamento de processos de negócio. Portanto, não é gerenciado por um engenheiro de software, mas sim por um homem de negócio. Alguém que entenda do negócio e tome decisões estratégicas em cima disso. O engenheiro de software deve apenas gerenciar o software. Pessoas de negócio não são programadores. Essa é, portanto, a razão pela qual Gerenciamento de Processo não é Engenharia de Software para o autor.

 

Por outro lado, Ismael Ghalimi fez uma crítica ao texto de Keith Swenson, falando que BPM é Engenharia de Processos e que Keth Swenson utilizou de argumentos confusos para explicar o que afirmou.

 

Segundo Ismael, a analogia é válida e não deve ser utilizada de maneira tão simplificada quanto Keith utilizou para suportar seus argumentos. BPM reduz a necessidade de engenharia de software oferecendo camadas de abstração que reduzem a necessidade de desenvolvimento de software customizado. Menos software desenvolvido significa menos engenharia de software a ser desenvolvida.

 

Porém, enquanto BPM reduz a necessidade da engenharia de software tradicional, ele aumenta a necessidade de um novo tipo de engenharia, que pode ser chamada de Engenharia de Processos.

 

Achei bem interessante a discussão. Vale a pena conferir os dois artigos!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: